sexta-feira, 27 de junho de 2008

Voltando ao Primeiro Amor (Parte 1)

Um certo rapaz foi ao supermercado fazer uma pequena compra. Não era o que poderíamos chamar de “compra do mês”, era só uma “comprinha”. Portanto, saiu com uma certa quantia em dinheiro e fez questão de calcular os preços dos produtos que comprava de modo a não exceder o valor que tinha em mãos. Quando passou a mercadoria no caixa, sobrou um pequeno troco. Então perguntou para o caixa se aquele valor dava para comprar algum chocolate, pois pensou em levar algo para a mulher e filhos. Foi informado que com aquela quantia poderia comprar três unidade do chocolate “Batom”, da Garoto, e foi exatamente o que fez.
Quando entregou os chocolates na mão dos seus dois filhos, eles fizeram a maior festa. Achou que conseguiria causar a mesma boa impressão na esposa, para o seu espanto a reação dela foi dizer: "Que decadência!”.
Levou um susto com a frase dita e com o olhar de censura recebido. Então disse: "Do que é que você está falando, querida?"
Ela nem titubeou para responder: "No início, quando começamos a namorar, você me tratava à base de bombons da Kopenhagen. Depois que noivamos você começou a aparecer com caixinhas de bombons sortidos da Nestlé. Quando nos casamos você começou a trazer os “Sonhos de Valsa” da Lacta. E agora “Batom”... Onde é que isto vai parar?".
Os filhos e o rapaz caíram na gargalhada com o seu protesto. Mas depois ele percebeu que ela não havia brincado. Começou a repensar na sua dedicação em agradá-la e concluiu que ela estava certa. Ele ainda a amava e não achava ter perdido isto, mas as coisas deixaram de ser como no começo.
É claro que uma relação amadurece e nem tudo será sempre como foi no começo. Dizia muitas coisas que melhoraram ao longo dos anos, mas o fato é que neste aspecto específico (expressar valor e carinho) ele havia decaído em relação ao que já havia sido antes. Chocolates populares também são gostosos, mas não são românticos.
Pediu perdão para a amada e prometeu resgatar aquilo que havia deixado de lado. E claro, tratou de fazer o que devia: voltou a dar bombons da Kopenhagen novamente!

Se isto acontece no nível de relacionamento humano, natural, também acontece no plano espiritual. Da mesma forma que perdemos a paixão e a intensidade de nosso amor por deixar se envolver na rotina de um relacionamento com pessoas que realmente amamos, também acabamos deixando que a relação com o Senhor sofra desgastes. E o Deus que nos chamou a uma relação de amor total não aceita isto. Ele protesta e pede de volta aquilo que perdemos.
À Igreja de Éfeso, Jesus deixa isso bem claro:
“Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos; e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste esmorecer. Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas”. (Apocalipse 2.2-5)

O PRIMEIRO AMOR
O que é o primeiro amor a que o Senhor Jesus se refere nesta mensagem? É um fogo em nosso íntimo, de grande intensidade, e que coloca Jesus acima de todas as outras coisas. Isto foi bem exemplificado em uma parábola de Cristo:
“O reino dos céus é semelhante a um tesouro oculto no campo, o qual certo homem, tendo-o achado, escondeu. E, transbordante de alegria, vai, vende tudo o que tem e compra aquele campo.” (Mateus 13.44)
O Senhor fala de alguém que, além de transbordar de alegria por ter encontrado o Reino de Deus ainda se dispõe a abrir mão de tudo o que tem para desfrutar de seu achado. Estas duas características são evidentes na vida de quem tem um encontro real com Jesus.

A PERDA DO PRIMEIRO AMOR
Portanto, a perda do primeiro amor é uma queda, é chamado de PECADO e necessita arrependimento. Tem muito crente que continua se dedicando ao trabalho do Senhor, mas perdeu sua paixão. Faz o que faz por hábito, rotina, por medo, pelo galardão, por qualquer outro motivo que, acompanhado daquele primeiro amor intenso faria sentido, mas sozinho não.

PORQUE PERDEMOS O PRIMEIRO AMOR
O primeiro amor é como um fogo, se você põe lenha ele se inflama mais, contudo, se você joga água ele se apaga. Falhamos em não alimentar o fogo, mas também em permitir que outras coisas o apaguem.
Várias coisas contribuem para que nosso amor pelo Senhor sofra a perda de intensidade. Mas há três, especificamente, as quais quero dar atenção aqui. Se queremos nos prevenir e evitar esta queda, ou se queremos restauração depois de termos caído, precisamos entender estes aspectos e como eles nos afetam:

- O convívio com o pecado
“E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos se esfriará”. (Mateus 24.12)
Quando falo do convívio com o pecado, em vez do pecado em si, pretendo estabelecer uma diferença importantíssima aqui. É mais do que óbvio que quem vive no pecado está distante de Deus. A queda do primeiro amor é chamado de pecado, mas não é ocasionado necessariamente por outro pecado na vida da pessoa. É uma perda espiritual num momento em que talvez a pessoa acredite que de fato “tudo vai bem”.
Creio que no texto acima Jesus se refere aos pecados da sociedade em que vivemos. Por se multiplicar o pecado à nossa volta (não necessariamente em nossa vida), passamos a conviver com algumas coisas que, ainda que não as pratiquemos, começamos a tolerar.
Precisamos ter o cuidado de não nos acostumarmos com o pecado à nossa volta. Muitas vezes o enredo dos filmes que nos proporcionam entretenimento nos fazem acostumar com certos valores contrários aos que pregamos. Acabamos aceitando violência, imoralidade e muitos outros valores mundanos. Mesmo que não cedendo a estes pecados, se não mantivermos um coração que aborreça o mal, nos acostumaremos a estes valores errados a ponto de nosso amor se esfriar.

- A falta de profundidade
Jesus fez menção, na parábola do semeador, da semente que caiu em solo pedregoso; é aquela planta que brota depressa, mas não desenvolve profundidade. Porque a raiz não consegue penetrar fundo no solo (pois se depara logo com a pedra), se torna superficial, se desenvolve na superfície.
“A que caiu sobre a pedra são os que, ouvindo a palavra, a recebem com alegria; estes não têm raiz, crêem apenas por algum tempo e, na hora da provação, se desviam”. (Lucas 8.13)
O segredo é desenvolver profundidade. Muitos cristãos vivem só dos cultos semanais. Não investem tempo num relacionamento diário, não oram, não se enchem da Palavra, não procuram mortificar sua carne e viver no Espírito. São cristãos sem profundidade, vivem só na superfície!
É tempo de buscar ao Senhor, ter um tempo só para Ele (nem que seja só de madrugada, mas que seja todas as madrugadas). Isso é desenvolver profundidade.

- A falta de tratamento
Outro exemplo que o Senhor nos dá nesta ilustração é o da semente que caiu entre espinhos:
“Outra caiu no meio dos espinhos; e estes, ao crescerem com ela, a sufocaram”. (Lucas 8.7)
Note que os espinhos não pareciam ser tão comprometedores a princípio, pois eram pequenos. Mas porque não foram arrancados, eles cresceram.
Aquelas áreas que não são tratadas em nossas vidas podem não parecer tão nocivas hoje, mas serão justamente estas áreas que poderão nos sufocar na fé e no amor ao Senhor depois. É um PROCESSO que envolve repetidos descuidos de nossa parte. Por isso, devemos dar mais atenção às áreas que precisam ser trabalhadas em nossas vidas.
Este é um caminho para proteger nosso amor ao Senhor. O cuidado nestas três áreas nos será útil para evitar a perda do primeiro amor. Contudo, muitos de nós já o temos perdido. E, mesmo que o reconhecimento das causas nos ajude a sermos preventivos daqui em diante, temos que fazer algo agora em relação à perda que já sofremos.

“LEMBRA-TE, pois, de onde caíste, ARREPENDE-TE e VOLTA À PRÁTICA DAS PRIMEIRAS OBRAS; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas”. (Apocalipse 2.5)

3 comentários:

Clarice Almeida disse...

A Paz irmão Fábio (Praise)...

Muito bom esse estudo, clareou minhas idéias e me abençoou muito!

Paulo disse...

SIMPLESMENTE SHOW!

Muito bom mesmo!

Leandro Lourena disse...

Show de Deus, eu tenho mais ou menos 10 de evangelho, e tenho visto que hoje não sou o que eu era antes,preciso realmente voltar ao primeiro amor.

abraços!